quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Mais um poema

Esse aqui eu nem lembrava que existia. Achei por acaso ontem. O poema não tem título e eu deixarei assim.


Pensei em uma canção
uma canção sobre nosso amor
nossas vidas tão ligadas
Porém
Estou agora tão perto de ti
mas você não me ve
não me vê porque estou longe,
longe da sua alma
do seu coração...
esses olhos que já não me enxergam
há tanto tempo...
ainda que tão abertos,
ainda que diante de mim,
mas eu não existo mais,
não no seu mundo
ainda que você sobreviva no meu
para a minha tristeza...
Grito, mas você não me ouve,
ouves o som da minha voz
mas não as palavras da minha alma...
Toco-te e não sei o que sentes...
sei que apenas não importa mais...
Não há imagens, não há som, não há canção
A canção que nem existiu
tem tons fora de melodia
ela já está morta há muito tempo...
Será que também o nosso amor?

Leila Soriano
(09/06/2007)

2 comentários:

Breno do Vale disse...

Por que esse poema ficou anônimo e esquecido por tanto tempo?

Leila disse...

eu não sei! meu subconsciente deve ter apagado isso da minha memória, quando eu o vi novamente até achei que não seria algo meu! mas consegui reconhecer depois de ler algumas vezes, e olha que esse é até recente, foi do ano passado!